DEMOCRACIA EM RISCO

Perspectivas políticas sobre a pós-verdade no Brasil

Autores

  • Ádamo Gabriel Universidade Federaal de Rondônia

Palavras-chave:

Democracia, Digitalização, Informação, Política Contemporânea, Verdade

Resumo

Este artigo discute a política hodierna no Brasil, a partir do exame entre a democracia e o fenômeno da pós-verdade. Neste sentido, tem por objetivo analisar os efeitos políticos da pós-verdade no Brasil contemporâneo, doravante as suas implicações nos quais tem desvelado uma conjuntura antipolítica, principalmente, com o estabelecimento de certo regime de (des) informação do mundo digital através das redes sociais e outros mecanismos de comunicação. Assim, o texto teve como procedimento metodológico a revisão bibliográfica de textos e obras sobre a temática. Em suma, os aspectos políticos da pós-verdade, revelam efeitos e fissuras na democracia, nos quais os desdobramentos têm colocado em risco ou sob ameaça constante a democracia brasileira.

 

Referências

ABRANCHES, Sérgio et al. Democracia em risco: 22 ensaios sobre o Brasil hoje. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

AGAMBEN, Giorgio Agamben. O que é o contemporâneo? E outros ensaios. Tradução de Vinícius Nicastro Honesko. Chapéco: Argos editora da Unochapecó, 2009.

AVRITZER, Leonardo. Impasses da democracia no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016.

BELLO, Enzo; CAPELA, Gustavo Moreira; KELLER, Rene José. Operação Lava Jato: ideologia, narrativa e (re) articulação da hegemonia. Revista Direito e Práxis, v. 12, n. 3, p. 1645-1678, set. 2021. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revistaceaju/article/view/53884. Acesso em: 08 ago. 2022.

BENTES, Ivana. As milícia digitais de Bolsonaro e o colapso da democracia. 2018. Disponível em: https://revistacult.uol.com.br/home/nao-matem-a-democracia/. Acesso em: 08 ago. 2022.

CASARA, Rubens Roberto Rebello. Estado pós-democrático: neo-obscurantismo e gestão dos indisejáveis. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2017.

CRUZ, Francisco Brito. Fake news definem uma eleição? In: BARBOSA, Mariana (org.). Pós-verdade e fake news: reflexões sobre a guerra de narrativas. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

CHAUÍ, Marilena. Convite à filosofia. São Paulo: Editora Ática, 2003.

D’ANCONA, Matthew. Pós-verdade: a nova guerra contra os fatos em tempos de fake news. Tradução de Carlos Szlak. Barueri: Faro Editoria, 2018.

DIAS, Felipe da Veiga; KAMPFF, Luiza Cerveira. Algoritmos de manipulação: um retrato da fantasia fake no Brasil. In: SABARIEGO, Jesús; AMARAL, Augusto Jobim do; CARVALHO, Eduardo Baldissera (orgs.). Algoritarismos. São Paulo, BR; Valencia, ES: Tirant lo Blanch, 2020.

DUNKER, Christian. Subjetividade em tempos de pós-verdade. In: DUNKER, Christian et al. Ética e pós-verdade. Porto Alegre: Dublinense, 2017.

EMPOLI, Giuliano da. Os engenheiros do caos. São Paulo: Vestígio, 2019.

FAUSTO NETO, Antônio. Fake news e circulação de sentidos nas eleições presidenciais brasileiras – 2018. In: FIGUEIRA, João; SANTOS, Sílvio (orgs.). As fake news e a nova ordem (des) informativa na era da pós-verdade. Portugal: Coimbra University Press, 2019.

FOUCAULT, Michel. O governo de si e dos outros: curso no Collège de France (1982-1983). Tradução de Eduardo Brandão. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2010.

FOUCAULT, Michel. A verdade e as formas jurídicas.Tradução de Eduardo Jardim e Roberto Machado. Rio de Janeiro: Nau, 2013.

GUERRA, Wesley. O tecnopopulismo e o ódio nas redes sociais. 2020. Disponível em: https://redessbr.wordpress.com/2020/08/22/o-tecnopopulismo-e-o-odio-nas-redes-sociais/. Acesso em: 07 ago. 2022.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2008.

HAN, Byung-Chul. No enxame: perspectivas do digital. Petrópolis, RJ: Vozes, 2018.

HARARI, Yuval Noah. 21 lições para o século 21. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

JENNINGS, Andrew et al. Brasil em jogo: o que fica da Copa e das Olimpíadas? São Paulo: Boitempo, 2014.

JINKINGS, Ivana. et al. Por que gritamos golpe? Para entender o impeachment e a crise política no Brasil. São Paulo: Boitempo, 2016.

KAKUTANI, Michiko. A morte da verdade: notas sobre a mentira a era Trump. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2018.

KEYES, Ralph. A era da pós-verdade: desonestidade e enganação da vida contemporânea. Tradução de Fábio Creder. Petrópolis, RJ: Vozes, 2018.

MATTOS, Marcelo Badaró. Governo Bolsonaro: neofascismo e autocracia burguesa no Brasil. São Paulo: Usina Editorial, 2020.

RAMONET, Ignacio. Geopolítica da pós-verdade: a informação na era das fake news. In: MORAES, Dênis de. (org.) Poder midiático e disputas ideológicas. Rio de Janeiro: Consequência, 2019.

RICHARDSON, Roberto Jarry. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 2012.

MATTOS, Marcelo Badaró. Governo Bolsonaro: neofascimo e autocracia burguesa no Brasil. São Paulo: Usina Editorial, 2020.

MIGUEL, Luis Felipe. O colapso da democracia no Brasil: da constituição ao golpe de 2016. São Paulo: Fundação Rosa Luxemburgo; Expressão Popular, 2019.

MELLO, Patrícia Campos. A máquina do ódio: notas de uma repórter sobre fake news e violência digital. São Paulo: Companhia das Letras, 2020.

TIBURI, Márcia. Pós-verdade, pós-ética: uma reflexão sobre delírios, atos digitais e inveja. In: DUNKER, Christian et al. Ética e pós-verdade. Porto Alegre: Dublinense, 2017.

TIBURI, Márcia. Ridículo político: uma investigação sobre o risível, a manipulação da imagem e o esteticamente correto. Rio de Janeiro: Record, 2017a.

TIBURI, Márcia. Turbofascimo: fascismo na era digital e o caso brasileiro. In: SABARIEGO, Jesús; AMARAL, Augusto Jobim do; CARVALHO, Eduardo Baldissera (orgs.). Algoritarismos. São Paulo, BR; Valencia, ES: Tirant lo Blanch, 2020.

TRINDADE, Luiz Valério. Discurso de ódio nas redes sociais. São Paulo: Jandaíra, 2022.

Downloads

Publicado

23-11-2022

Edição

Seção

Edição Especial VII CONC&T 2022