AS REFORMAS EDUCACIONAIS DE FRANCISCO CAMPOS E GUSTAVO CAPANEMA: O INÍCIO DE UMA REESTRUTURAÇÃO DE ENSINO NO BRASIL

Autores

  • Emmanuely Andrade Instituto Federal do Acre
  • John Kenede Batista Lima Universidade Federal do Acre
  • Müller Padilha Gonçalves Universidade Federal do Acre
  • Vicente Bessa Neto INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Palavras-chave:

Educação; Reforma Educacional; Modernização.

Resumo

O presente artigo, de caráter documental e bibliográfico, apresenta o papel de Francisco Campos e Gustavo Capanema como os primeiros ministros do Ministério da Educação e Saúde do governo de Getúlio Vargas. O primeiro no Governo Provisório e o segundo no Estado Novo. O trabalho separa por seção o período de cada gestão e como foi possível modernizar a educação, principalmente o ensino secundário a nível nacional e o ensino profissionalizante para classe trabalhadora.

Biografia do Autor

Emmanuely Andrade, Instituto Federal do Acre

Docente efetiva no Instituto Federal do Acre (IFAC) área de Segurança do Trabalho. Mestranda em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação na Universidade Federal do Acre (PPGE/UFAC). Especialista em Engenharia de Segurança do Trabalho (UNINORTE). Graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade da Amazônia Ocidental (FAAO). Participarte do grupo de pesquisa: Saúde, Qualidade de vida e Segurança do Trabalho.

John Kenede Batista Lima, Universidade Federal do Acre

Mestrando do Programa de pós-graduação em Educação (PPGE-UFAC), Graduado em fonoaudiologia.

Müller Padilha Gonçalves, Universidade Federal do Acre

Mestrando em Educação pela Universidade Federal do Acre – UFAC. Especialista em Docência em Administração pela Faculdade Cidade Verde - FCV. Graduado em Administração pela Faculdade da Amazônia Ocidental – FAAO. Docente do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico do Instituto Federal do Acre- IFAC - Área de Administração.

Vicente Bessa Neto, INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Possui graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal do Acre (2010), Pós-Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho (2011). Mestrado Profissionalizante em Gestão de Áreas Protegidas da Amazônia - MPGAP/INPA. Especialização em Higiene ocupacional pela escola politécnica da Universidade de São Paulo (2019). Doutorando na Pós Graduação de Ensino em Biociências e Saúde pelo Instituto Oswaldo Cruz/ Fundação Oswaldo Cruz.

Referências

BRASIL. Decreto n. 4.244, de 09 de abril de 1942. Publicação Original. Disponível em: <http://www.soleis.adv.br/leiorganicaensinosecundario.html> Acesso em 28 de maio de 2022.

BRASIL. Decreto n. 6.141, de 28 de dezembro de 1943. Publicação Original. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/declei/1940-1949/decreto-lei-6141-28-dezembro-1943-416183-publicacaooriginal-1-pe.html > Acesso em 28 de maio de 2022.

CAMPELO, Calebe Lucas Feitosa. Reforma Capanema e Reforma Mendonça Filho: primeiras aproximações. VIII Jornada Internacional Políticas Públicas, Universidade Federal do Maranhão, 22 – 25 de agosto de 2017.

DALLABRIDA, Norberto. A reforma Francisco Campos e a modernização nacionalizada do ensino secundário. Educação, v. 32, n. 2, 10 jul. 2009.

HILSDORF, Maria Lucia Spedo. História da Educação Brasileira: Leituras. São Paulo. Cernage Learnig. 2003.

LEMME, Paschoal. O Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova e suas repercussões na realidade educacional brasileira. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 86, n. 212, p. 163-178, jan./abr. 2005.

MONTALVÃO, Sérgio de Sousa. Gustavo Capanema e o ensino secundário no Brasil: a invenção de um legado. História da Educação (Online), Rio de Janeiro, v. 25, p. 1-31, dez. 2021.

MONTEIRO, Ana Clédina Rodrigues; DIAS, Ana Lúcia Braz; PIRES, Célia Maria Carolino; GONÇALVES, Harryson Júnio Lessa. Marcas e trajetórias da educação profissional no brasil parte 2: das escolas de aprendizes artífices à reforma capanema. Revista Iluminart, São Paulo, ano V, n. 10, 2013.

MORAES, Maria Célia. Educação e política nos anos 30: a presença de Francisco Campos. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v. 73, n. 174, 1992.

OLIVEIRA, Pâmela Faria. Ações modernizadoras em Minas Gerais: a reforma educacional Francisco Campos (1926-30). 2011. 128 f. Dissertação (Mestrado) - Curso Educação: História e Historiografia da Educação, Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais, 2011. Disponível em: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/13849. Acesso em: 23 mai. 2022.

PALMA FILHO, João Cardoso. A educação brasileira no período de 1930 a 1960: a Era Vargas. Universidade Estadual Paulista. Caderno de Formação de Professores Educação, Cultura e Desenvolvimento. São Paulo: UNIVESP, v. 1, p. 85-103, 2010.

PILETTI, Nelson. História da educação no Brasil. 6. Ed. São Paulo: Editora Ática, 1996.

RIBEIRO, Maria Luisa Santos. História da Educação Brasileira: A organização escolar. 8ª edição. São Paulo. Cortez: Autores Associados. 1988.

QUADROS, Raquel Dos Santos. MACHADO, Maria Cristina Gomes. O ministro Gustavo Capanema e a ação cultural do ministério da educação e saúde na era Vargas. Revista arquivo Brasileiro de Educação, Belo Horizonte, vol.1, num.2, jul - dez, 2013.

ROMANELLI, Otaíza de Oliveira. História da Educação no Brasil (1930/1973). 8. Ed. Petrópolis, Vozes, 1986.

SAVIANI, Dermeval. História das ideias pedagógicas no Brasil. Campinas-SP: Autores Associados, 2007.

SCHWARTZMAN, Simon. Gustavo Capanema e a educação brasileira: uma interpretação. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v. 66, n. 153, p. 165-172, maio/agosto, 1985.

SOUZA, Agnes Cruz de. Gustavo Capanema: presença e onipresença na educação brasileira. Revista Eletrônica Saberes da Educação, Volume 5, nº 1, p. 01-12, 2014.

SOUZA, Rosa Fátima. História da organização do trabalho escolar e do currículo no Século XX: (ensino primário e secundário no Brasil). São Paulo, SP: Cortez, 2008.

TREVIZOLI, Dayane Mezuram; VIEIRA, Letícia; DALLABRIDA, Norberto. As mudanças experimentadas pela cultura escolar do ensino secundário devido a implementação da Reforma Capanema de 1942 e da Lei de Diretrizes e Bases da Educação de 1961. In: ANAIS DO COLÓQUIO" ENSINO MÉDIO, HISTÓRIA E CIDADANIA. 8., 2013, Florianópolis. v. 3, n. 3, p. 1-13, 2013.

Downloads

Publicado

23-11-2022

Edição

Seção

Edição Especial VII CONC&T 2022