PERFIL DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER NO ACRE

Autores

  • Cláudia Almeida IFAC
  • Fernando Danner Universidade Federal de Rondônia

Palavras-chave:

Acre, Genero, Mulher, Violência

Resumo

Este artigo tem como foco das atenções o tema violência doméstica e familiar contra as mulheres no Estado do Acre (AC), localizado na região Norte do Brasil. Tem como objetivo central traçar o perfil dessa violência, bem como das vítimas e agressores. Foram utilizados como fonte de coleta de dados, neste trabalho, para mapear a violência contra a mulher no Acre, os relatórios do Ligue 180, atual Central de Atendimento à Mulher, bem como as informações desta central disponíveis no painel de dados da Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos (ONDH). Os dados quantitativos foram organizados por meio de gráficos e figuras, sendo utilizado métodos estatísticos de média aritmética e percentagem para análise. Constatando-se que o tipo de violência mais frequente atinge a integridade psíquica e física, o local onde mais ocorre é a casa da vítima e a casa onde reside a vítima e o suspeito, o início das violações há mais de um ano foi mais prevalente, a violência ocorre diariamente e o principal motivo é o sexo biológico da vítima. As vítimas de violência contra a mulher em sua grande maioria eram pardas, tinham entre 25 e 39 anos, com ensino médio completo e com renda de até um salário mínimo. A maioria dos agressores são companheiro, ex-companheiro, cônjuge, ex-cônjuge, namorado, ex-namorado e marido das vítimas, do sexo masculino, pardos, tinham entre 30 e 49 anos, com ensino fundamental incompleto, e renda de até um salário mínimo.

Referências

BRASIL. Lei n. 10.714, de 13 de Agosto de 2003. 2003a. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.714.htm>. Acesso em: 27 abr. 2022

BRASIL. Lei n. 11.340, de 7 de agosto de 2006. 2006. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Lei/L11340.htm>. Acesso em: 13 mar. 2021

BRASIL. Lei n. 13.025, de 3 de Setembro de 2014. 2014. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2014/Lei/L13025.htm#art1>. Acesso em: 27 abr. 2022

CERQUEIRA, D. et al. Atlas da violência 2021. São Paulo: Fórum Brasileiro de Segurança Pública, 2021. Disponível em: <https://forumseguranca.org.br/wp-content/uploads/2021/12/atlas-violencia-2021-v7.pdf>. Acesso em: 14 mar. 2022.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística: Acre: panorama. Disponível em: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ac/panorama>. Acesso em: 28 maio. 2022.

MARCONI, M. DE A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa. 5. ed. rev. e ampl. São Paulo: Editora Atlas S.A., 2002.

MARTINS, G. DE A.; THEÓPHILO, C. R. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Atlas, 2007.

MINISTÉRIO DA MULHER, DA F. E DOS D. H. Painel de dados da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos: 2º semestre de 2020. 2021b. Disponível em: <https://www.gov.br/mdh/pt-br/ondh/painel-de-dados/segundo-semestre-de-2020>. Acesso em: 27 abr. 2022.

MINISTÉRIO DA MULHER, DA F. E DOS D. H. Painel de dados da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos: 1º semestre de 2020. 2021a. Disponível em: <https://www.gov.br/mdh/pt-br/ondh/painel-de-dados/primeiro-semestre-de-2020>. Acesso em: 27 maio. 2022.

MINISTÉRIO DA MULHER, DA F. E DOS D. H. Painel com dados de denúncias de violações de direitos humanos recebidas pela ONDH no ano de 2021, 2022. Disponível em: <https://www.gov.br/mdh/pt-br/ondh/painel-de-dados/2021>. Acesso em: 27 mar. 2022.

MINISTÉRIO DOS DIREITOS HUMANOS. Central de Atendimento à Mulher - Ligue 180: Relatório 2017. Brasília: Ministério dos Direitos Humanos, 2018. Disponível em: <https://www.gov.br/mdh/pt-br/centrais-de-conteudo/ligue-180>. Acesso em: 16 fev. 2022.

OUVIDORIA NACIONAL DE DIREITOS HUMANOS. Balanço 2019 Ligue 180. Brasília: Central de atendimento à mulher, 2020. Disponível em: <https://www.gov.br/mdh/pt-br/centrais-de-conteudo/ligue-180>. Acesso em: 16 fev. 2022.

OUVIDORIA NACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS. Ligue 180 Relatório 2018. Brasília: Central de atendimento à mulher, 2019. Disponível em: <https://www.gov.br/mdh/pt-br/centrais-de-conteudo/ligue-180>. Acesso em: 16 fev. 2022.

SECRETARIA DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES. Balanço 2014 Ligue 180. Brasília: Central de atendimento à mulher, 2015. Disponível em: <https://www.gov.br/mdh/pt-br/centrais-de-conteudo/ligue-180>. Acesso em: 16 fev. 2022b.

SECRETARIA DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES. Balanço 2015 Ligue 180. Brasília: Central de atendimento à mulher, 2016a. Disponível em: <https://www.gov.br/mdh/pt-br/centrais-de-conteudo/ligue-180>. Acesso em: 16 fev. 2022.

SECRETARIA DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES. Balanço uma década de conquistas: Ligue 180. Brasília: Central de atendimento à mulher, 2016b. Disponível em: <https://www.gov.br/mdh/pt-br/centrais-de-conteudo/ligue-180>. Acesso em: 16 fev. 2022a.

SECRETARIA NACIONAL DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES. Ligue 180 Balanço Anual 2016. Brasília: Central de atendimento à mulher, 2017. Disponível em: <https://www.gov.br/mdh/pt-br/centrais-de-conteudo/ligue-180>. Acesso em: 16 fev. 2022.

SECRETARIA DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES. Rede de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres. Brasília: Presidência da República, 2011.

Downloads

Publicado

23-11-2022

Edição

Seção

Edição Especial VII CONC&T 2022